Sociedade

Recolhido para tratamento após reportagem do Jornal GOLFINHO, homem que vivia ao lado de uma lixeira na Estrada Rio Jequiá, gravemente enfermo, se evade de centro de saúde em Del Castilho

P25F1

O morador de rua conhecido como Antônio e que vivia deitado na calçada da Estrada do Rio Jequiá, junto a uma lixeira, perto da Vila Olímpica, segundo informações do Creas Stella Maris, no Galeão, “fugiu da emergência psiquiátrica do Centro Municipal de Saúde Rodolpho Rocco, em Del Castilho”. Ele havia sido encaminhado para lá pelo Stella Maris, que tinha feito o seu recolhimento, junto com a Superintendência da Ilha, no dia 24 de abril, após reportagem do Jornal GOL­FINHO, no dia 20 de abril, denunciando o abandono em que ele se encontrava, já que mal conseguia se locomover e era portador de um tumor no saco escrotal e de muitas feridas.

Inicialmente ele foi levado ao CER-Ilha (Evandro Freire), que avaliou “tratar-se de caso ambulatorial com urologista, não sendo indicada a internação”, segundo re­latório do Stella Maris enviado à Secretaria Municipal de Assistência Social.

A reportagem do Jornal GOLFINHO obte­ve 54 compartilhamentos, alcançou quase 17 mil pessoas e foi realizada após denún­cias da advogada Consuelo Machado, que também já havia comunicado a situação à Superintendência da Ilha. Como, mesmo após suas denúncias, o morador de rua continuava sem atendimento, ela acionou o Ministério Público, através da 3ª Promo­toria do Idoso e da Pessoa com Deficiência. Ao saber da sua fuga, Consuelo lamentou: “É, resolveram o problema. Como um ho­mem que mal conseguia andar conseguiu fugir e desaparecer?”. O Creas Stella Maris informou que ele não foi mais visto em Del Castilho e nem na Ilha do Governador.

Os comentários estão encerrados.