Capa

No aniversário da Ilha, insulano esquece por um momento as crises no emprego, na segurança, saúde… e comemora as belezas do bairro

P1F2

Selo Aniversário da Ilha 2017

Todo mundo sabe como o insulano é bairrista. Sabe que sua região tem pro­blemas, como todas as outras, mas não admite críticas à Ilha. “Quando desço a ponte e entro na Estrada do Galeão, respiro aliviado e sinto-me feliz…” Essa definição é unânime entre os moradores. Veja, a seguir, uma série de reportagens em homenagem aos 450 anos da Ilha.

Bem… na verdade, algumas dessas cele­bridades ainda moram na Ilha, como o ex-campeão mundial de futebol (1970) Hércules Brito, que reside no Moneró, o craque da Seleção Brasileira Diego Souza (Vila Pan­-Americana), mas que no momento joga no Sport (Recife), o ator e cineasta Carlo Mossy (Cocotá), a historiadora Cybelle de Ipanema e o poeta e compositor Paulo George (Paulinho Poeta). Mas o fato é que a Ilha do Governador sempre foi um celeiro de artistas, escritores e esportistas, que aqui nasceram e cresceram ou que escolheram nosso bairro para morar.

A Redação do Jornal GOLFINHO, com a prestimosa consultoria do nosso colunista Jai­me Moraes, historiador autodidata, elaborou uma relação de alguns desses nomes – e já antevemos alguns leitores, surpresos, ex­clamando: “Ih, Fulano de Tal morou aqui na Ilha? Eu não sabia…”

Nas páginas seguintes, mais algumas ma­térias para saudar os 450 anos da Ilha do Go­vernador, que já foi chamada de Paranapuã, do Mar, dos Maracajás, dos Sete Engenhos e de Belle Isle. Seu nome atual ela ganhou em 5 de setembro de 1567 (veja na página 20).

Um decreto de 1981 dividiu a Ilha em 14 bairros: Bancários, Cacuia, Cocotá, Fregue­sia, Galeão, Jardim Carioca, Jardim Guana­bara, Moneró, Pitangueiras, Portuguesa, Praia da Bandeira, Ribeira, Tauá e Zumbi. O Jardim Guanabara é uma das áreas mais valoriza­das da Zona Norte do Rio de Janeiro, com o terceiro melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da cidade, atrás apenas da Gávea e do Leblon.

Com uma população estimada em 250 mil habitantes e infraestrutura superior à de muitas cidades médias brasileiras, a Ilha do Governador possui o segundo principal aero­porto internacional do Brasil, o Galeão; uma das principais universidades públicas do País (a UFRJ, no Fundão); uma estação hidroviária; é vizinha de três dos principais eixos viários da cidade (Avenida Brasil e Linhas Vermelha e Amarela); sedia um grande estaleiro e fábricas de lubrificantes automotivos; duas universidades particulares e uma extensa rede de ensino, pública e privada; um grande sho­pping (Ilha Plaza), diversos centros e galerias comerciais, além de um comércio dinâmico e diversificado; inúmeras instituições militares, inclusive a principal base aérea do país (Ga­leão), o Hospital de Força Aérea do Galeão e o Corpo de Fuzileiros Navais; um hospital público (Evandro Freire) e diversos centros municipais de saúde e clínicas da família (que vêm atravessando, infelizmente, um período crítico), além de uma UPA pediátrica; dois hospitais e inúmeras clínicas particulares; um cemitério; o 17º Batalhão de Polícia Militar, a 37ª Delegacia Policial, o 19º Grupamento de Bombeiros Militar e a 9ª Inspetoria da Guar­da Municipal, além de sediar a OAB Ilha (33ª Subseção) e a Somei (Sociedade dos Médicos da Ilha do Governador); uma biblioteca muni­cipal, a Areninha Cultural Renato Russo, o Te­atro Lemos Cunha, uma unidade da Faetec e, além do Jornal GOLFINHO, mais três jornais de bairro; estações de tratamento de esgoto e reservatórios de água da Cedae; quanto a lazer e atividades sociais, sedia o Iate Clube Jardim Guanabara e mais oito clubes sociais e esportivos; duas grandes áreas públicas de lazer, o Parque Poeta Manuel Bandeira e o Corredor Esportivo do Moneró; um estádio de futebol (Luso-Brasileiro/Ilha do Urubu); e três escolas de samba, sendo a principal a União da Ilha do Governador, do Grupo Especial, que, entre outros sambas-enredo históricos, presenteou o Rio de Janeiro com as obras­-primas “É Hoje”, “O Amanhã” e “Domingo”.

P22F2

Gonzaguinha e seu pai, Luiz Gonzaga

P19F1

Elymar Santos

P22F9

Chico Anysio

 

P22F4

O craque Garrincha e a cantora Elza Soares

P22F1

Renato Russo

P22F6

Paulinho Gogó

P22F5

Wanderléa

P22F3

Vinícius de Moraes, na Praia do Cocotá, em frente à casa onde veraneava

ESCRITORES

Lima Barreto (Galeão), Rachel de Queiroz Onça), Vinícius de Moraes (Cocotá), Graciliano Norberto Greco, Richard Katz (Ponta do Tiro), Cony (Freguesia) e Cybelle de Ipanema (Jardim Guanabara).

P21F1

Rachel de Queiroz

P22F8

Cybelle de Ipanema

ARTISTAS

Susana Vieira, Ângela Leal, Bete Mendes (todos ex-alunos do Colégio Estadual de Moraes); Galdino Guttmann Bicho; Chiquinha (Zumbi), Carmem Miranda e irmãs Linda e Sinhô, Dalva de Oliveira-Herivelto Martins, Waldick Soriano, Renato Russo, Elymar Falabella e Eduardo Galvão (Freguesia); Marcelo (Galeão); Luiz Gonzaga, seu filho Gonzaguinha Mossy (Cocotá); Elke Maravilha (Ribeira); (Bancários); Castro Gonzaga e Leandro Hassum Martin Francisco (Tauá); Haroldo de Andrade, Wilson das Neves, Elymar Santos, Buchecha (Jardim Guanabara); Elza Soares (Moneró); Gogó (Portuguesa). O compositor Michael Wanderléa também residiram na Ilha.

 

ESPORTISTAS

Nilton Santos (Tubiacanga), Garrincha (Tauá), Brito (Moneró), Roberto Dinamite (Cocotá); Diego Souza (Vila Pan-Americana); Flores, Adílio, Nilson Dias e Luan (Jardim jogadores Sabará, Pinga, Pavão e Quarentinha moraram na Ilha do Governador.

P20F3

Hércules Brito

Os atores Miguel Falabella e Susana Vieira, sempre que podem, em entrevistas, falam bem da Ilha do Governador, onde moraram; o ator Carlo Mossy e o jogador Brito ainda moram no nosso bairro.

P20F1P20F4P20F2

 

Na música, a preferência pela Ilha do Governador tem tradição… Que o digam as estrelíssimas Chiquinha Gonzaga e Carmem
Miranda; na literatura, idem, como os escritores Lima Barreto e Rachel de Queiroz.

P21F2

Lima Barreto

P21F3

Chiquinha Gonzaga

P21F4

Carmen Miranda

Os comentários estão encerrados.