Sociedade

Moradores reclamam do grande corte nos horários das barcas

p14f3

Os insulanos que uti­lizam as barcas estão decepcionados com o fim de 12 horários entre o Cocotá e a Praça XV. A medida tomada pela concessionária CCR, que administra esse trans­porte, entrou em vigor em 1° de novembro, mas a Defensoria Públi­ca entrou com recurso para vetar a mudança, alegando que a popula­ção deveria ter sido ou­vida, além de que seria necessário um aditivo contratual. Agora, os horários no sentido Co­cotá-Praça XV são: 7, 8 e 9h20min. No sentido Praça XV-Cocotá os ho­rários são: 17h30min, 18h40min e 19h50min. A Secretaria Estadual de Transportes informou que irá reforçar linhas de ônibus para suprir a falta dessas barcas, en­tre elas a 321, 322, 323, 324, 325, 326, 327, 328 e 329.

Douglas Fagundes

Para ter os horários de volta, o professor de His­tória Douglas Fagundes resolveu criar um abai­xo-assinado na internet. No primeiro dia, já havia mil assinaturas e o apoio de diversas lideranças do bairro. Batizado de Junti, o movimento chegou à Assembleia Legislativa (Alerj), onde foi apre­sentado.

 

— A concessionária dei­xou somente três horários do Cocotá para a Praça XV e mais três para retorno. O pior é que existe a com­provação de que o número de passageiros aumentou desde 2013. Também não houve publicação no Diário Oficial e não há nada no contrato de parceria entre a concessionária e o Es­tado que torne de caráter legal esse término de ho­rários –- explicou Douglas.

 

 

 

Em 2015, CCR quis entregar a concessão

Em outubro de 2015, a CCR procurou o Governo do Estado para devolver a concessão, justificando um revés finan­ceiro no contrato. A empresa alegou que a exploração do serviço era deficitária, mas o Estado não aceitou a pretensão da CCR Barcas.

Os comentários estão encerrados.