Notícias

Jogos Olímpicos deixarão para o Rio e a Ilha do Governador, em particular

Nestor Rocha

O  jovem empresário Nestor Rocha está entusiasmado com o legado que os Jogos Olímpicos trarão para a Cidade Maravilhosa, aí incluída a Ilha do Governador: “Vejo um crescimento eminente na Ilha e em todo o Rio, principalmente em relação aos Jogos Olímpicos, que se aproximam. O BRT Transcarioca, que liga
o Galeão à Barra, passando por toda a cidade, é uma realidade que me deixa muito feliz. Logo ele estará integrado ao BRT Transbrasil, que corre ao longo da Avenida Brasil – e a acessibilidade será ainda maior.”

Em entrevista exclusiva ao Jornal GOLFINHO, Nestor contou de sua ligação com a Ilha.

Jornal GOLFINHO: Como se dá o seu envolvimento com a Ilha?
NESTOR: Quando meu pai era vereador, firmou uma grande amizade com o Comodoro José Moraes.
Atendia todas as solicitações dele em benefício da Ilha, melhorando a infraestrutura do bairro. Aliás, antes de o José Moraes entrar para a política, meu pai já era deputado estadual, líder do Brizola na Assembleia Legislativa, e depois também seu Secretário de Esporte e de Turismo. Ou seja: meu pai, através do José Moraes, estreitou sua relação de amor com a Ilha. E, como diz o anúncio, isso
não tem preço…

Jornal GOLFINHO: Você tem mais amigos na Ilha?

NESTOR: Acabei ficando muito amigo também dos filhos do Zé Moraes. Do Marcus, Rickson, Andriws,
Rorion, Rogger e Rennanzinho. Já viajei com toda essa família amiga, assistimos futebol, UFC, vamos a festas, etc. Quando pequeno, meu pai me trazia às reuniões que ele promovia na Ilha. Dessa época, lembro bastante do Joca Rezende, sempre muito animado, e da Raquel, brizolista de quatro costados, como o meu pai. Os dois sempre sonharam em fazer uma Ilha do Governador melhor.

Jornal GOLFINHO: Voltando ao seu pai: ele foi o idealizador do Sambódromo?

NESTOR: Sim, ele foi o mentor dessa obra, uma das mais importantes na história do Rio moderno, que
beneficiou muito as escolas de samba e a cidade, como um todo.

Jornal GOLFINHO: Você frequenta escolas de samba?

NESTOR: Sim, inclusive a querida União da Ilha, uma das mais bem estruturadas da cidade. Gosto muito do Ney Filardis e do Márcio André, dois abnegados da União da Ilha, que é, com certeza, a segunda escola no coração de todos os cariocas.

Jornal GOLFINHO: Quais legados você acha que as Olimpíadas deixarão para o Rio e, especificamente, para a Ilha do Governador?

NESTOR: O principal é a transformação positiva pela qual o Rio está passando. O impacto transformador dos Jogos para a população do Rio promete ultrapassar os 17 dias de competições olímpicas e os 11 de paralímpicas, proporcionando aos cariocas darem passos em direção a um amanhã melhor. Na Ilha, destaco a Vila Olímpica, uma das mais modernas do Rio, o BRT Transcarioca e a expansão do terminal 2 do Aeroporto do Galeão. Mas temos que enxergar mais longe. Com o sucesso que os Jogos Olímpicos farão, nossas crianças terão seu interesse despertado ainda mais fortemente pelas diversas modalidades esportivas. Tenho certeza de que aqui na Ilha, na Vila Olímpica Nílton Santos, ainda serão formados
muitos campeões.

Jornal GOLFINHO: Depois dos Jogos, então, voltaremos a conversar…

NESTOR: Perfeito! Gosto muito de falar do Rio e de trocar ideias em minha página no Facebook. Convido
todos a baterem um papo comigo lá, é só procurar no Facebook: Nestor Rocha.

Os comentários estão encerrados.