Obituário

A Máquina de Fazer Amigos parou…

Flagrante obtido pelo Jornal GOLFINHO; Seu Pinheiro e sua amada esposa, a poetisa Doralice de Carvalho; reparem, à esquerda, na bandeira do Vasco, outra das suas paixões

Faleceu o Seu Pinheiro, às vésperas de completar 88 anos

Alzir Rabelo

A Ilha do Governador perdeu na segunda-feira, 3 de julho, um dos seus moradores mais importantes, dotado de um espírito solidário, fraterno, comunicativo. Antonio Pinheiro de Carvalho faleceu por volta das 20 horas, no Hospital Santa Maria Madalena, onde estava internado há 15 dias, em de­corrência de problemas renais. Foi cremado na quarta-feira, no Memorial do Carmo. A missa de 7º dia será oficiada no domingo, dia 9, às 10h30min, na Igreja São José Operário.

Ele, que completaria 88 anos agora em agosto, morava na Ilha do Governador, pela qual nutria verdadeira paixão, há 55 anos. Sua preocupação principal, ultimamente, eram os preparativos para o lançamento do 11º livro (“A Vida e o Tempo”), de sua esposa, a poetisa Doralice de Carvalho, em setembro, tarefa à qual se dedicava com um amor admirável.

Querido por toda a sociedade insulana, Seu Pinheiro colecio­nava amigos em todas as esferas: autoridades, empresários, líderes comunitários… e, principalmente, as pessoas mais simples do povo, a quem tinha um enorme e desinteressado prazer de ajudar. Em reportagem inspirada, acabei por lhe dar o justo apelido de “A Máquina de Fazer Amigos”, do qual ele se orgulhava bastante.

Muito católico e devoto principalmente de Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora de Fátima, Seu Pinheiro tinha anti­ga amizade com a Aeronáutica, relacionamento que mantinha desde o tempo de sua juventude, em Parnaíba, sua cidade natal. Ganhou inúmeras medalhas dessa arma.

Além de sua esposa Doralice, Seu Pinheiro deixou quatro filhos – Normana, Maria de Fátima, Antonio e Catarina -, cinco netos e 4 bisnetos. Além de ser seu sobrinho, José Moraes, Comodoro do Iate Clube Jardim Guanabara, era também seu grande amigo. Muito unidos, trabalharam juntos, em diversas épocas, por inúmeras melhorias para a Ilha do Governador:

” Meu tio Antonio era a pessoa mais bondosa e prestativa que conheci na vida. Ajudava diariamente a toda a sociedade de nossa Ilha e era adorado por todos. Vamos sentir muito a sua falta…

O Comodoro José Moraes, sobrinho de Seu Pinheiro, com sua esposa Viviane, prestigiando um dos lançamentos de livro da poetisa Doralice de Carvalho

O Comodoro José Moraes, sobrinho de Seu Pinheiro,
com sua esposa Viviane, prestigiando um dos lançamentos
de livro da poetisa Doralice de Carvalho

O reconhecimento a um homem público da melhor qualidade

P7F1

Seu Pinheiro era diretor do Centro Público de Trabalho, Emprego e Renda na Ilha do Governador, órgão da Secretaria Municipal de Traba­lho. Foi também pre­sidente do Conselho Comunitário de Se­gurança e diretor da Fábrica de Gordura de Coco Dunorte.

Ao longo de sua vida pública, foi agra­ciado com inúmeros diplomas e medalhas, entre as quais pode­mos citar o título de comendador, a meda­lha O Homem do Ba­lão e a medalha Ami­go da Prefeitura Ae­ronáutica do Galeão, os três concedidos pelo Alto Comando da FAB; a medalha Ami­go da Marinha, ofertado pela Marinha do Brasil; e o diploma Amigo da Criança, outorgado pelo Instituto Pró-Menor do Brasil; e homenagens do Rotary, do Lions e da Somei (Sociedade dos Médicos da Ilha do Go­vernador).

Os comentários estão encerrados.