A Palavra do Comodoro

A mais moderna marina do Brasil deverá ser implantada no Iate

Palavra do Comodoro

Uma das maiores preocupações que tive com toda a nossa Diretoria, Conselheiros e Beneméritos foi assistir, como Como­doro do Iate, por 29 anos, a um grande declínio nas atividades náuticas, principalmente em nossa marina e galpões.

Aqueles que acompanham nosso trabalho sabem que de 1990 até a data de hoje conseguimos realizar muitas e importantes obras para o Iate, como o Giná­sio Pelé (o próprio Pelé lançou a pedra fundamental de sua construção); o Parque Aquático do Toboágua; as nossas salas de dança, ginástica e funcional; o Centro Administrativo Mário Felippe; o Centro Cultural Virgínia Lombardi; a recuperação total de nossas áreas verdes; a urbanização de novas áreas em frente ao mar; a le­galização de todos os terrenos e instalações do clube junto ao Serviço de Patrimônio da União, Prefeitura do Rio e Corpo de Bombeiros; a informatização do clube; a nossa arena de futebol de grama sintética; quadra de futevôlei; restaurantes Piovesan e Veleiro; departamen­to médico; implantação de duas saunas; churrasquei­ras; uma quadra de lisonda, de tênis; 22 modalidades de esporte, com suas escolinhas para crianças, jovens, adultos e até terceira idade; cerca de 40 lojas de ativi­dades diversas…

Realizamos muitas dezenas de shows com as melho­res bandas e cantores do Brasil; construímos uma das melhores academias de clubes do Brasil; ajudamos, com nossos excelentes professores, a transformar centenas de jovens em campeões cariocas, estaduais, brasileiros, sul-americanos, pan-americanos e até mundiais, em várias categorias esportivas; transformamos o Iate no lugar mais seguro que uma família pode ter na Ilha, o que hoje se reveste da mais fundamental importância para qualquer morador do Rio de Janeiro; atravessamos uma crise financeira muito grande, quando o Brasil viveu momentos de grandes dificuldades na área econômica, com centenas de falências de grandes empresas (Varig, Vasp, Transbrasil e tantas outras)…

Enfim, quase naufragamos junto com milhares e mi­lhares de brasileiros e empresas que não conseguiram atravessar essas sérias e sucessivas crises; mas, por outro lado, sempre contamos com um excelente quadro de funcionários, professores e muitos valorosos sócios, que permanentemente estiveram do nosso lado – e, assim, conseguimos superar todos esses períodos negativos. E agora, em dezembro de 2017, o nosso balanço teve até um superávit, o que, pessoalmente, me fez renovar as minhas próprias forças, juntamente com a nossa garotada: Andriws, Diego, Daniel, Rorion, Rogger e Rennan, que, sempre com ideias novas e criativas, com um carinho especial, nos fi­zeram – eu, Luiz e Marcos – redobrar nossas esperanças e forças, para chegarmos ao dia de hoje.

Os Conselheiros, Diretores e, em particular, os Presi­dentes dos Conselhos Deliberativo e Fiscal, Luciano de Souza Filho e José Valeriano Correia, juntamente com os ex-Presidentes desses Conselhos, Renaldo Pereira Nunes e Antônio de Sá, foram e são preponderantes para que tudo isso viesse a acontecer.

Apesar de tudo isso, vocês sabem que o investimento em área náutica é muito alto, não tínhamos condições de fazer os necessários investimentos em marinas e galpões, o que me corroía de dor, internamente. Quem administra sabe que orçamento é receita de um lado e despesa do outro… e, infelizmente, a nossa receita (faturamento) dos anos 90 até agora caiu aproximadamente 80%, o que na verdade é um absurdo, mas mostra que as condições financeiras e econômicas dos brasileiros, principalmente os das classes A, B e C, tiveram um grande impacto negativo, fazendo com que a inadimplência dos sócios do Iate, ao longo desses 29 anos, chegue hoje à astronômica soma de quase 50 milhões de reais… É isso mesmo, amigos, só Deus para conseguir com que atravessássemos uma crise tão aguda.

Para exemplificar, a Light, a quem pagávamos, men­salmente, R$ 1.200, hoje nos custa, aproximadamente, R$ 80 mil por mês. É… R$ 80 mil só de Light. E assim se comportam todas as outras despesas. Mas, como creio em Deus – até porque o pai de Jesus é José -, acredito que tivemos uma mão iluminada que nos protegeu e guiou por esse tempo todo e ainda protege e guia.

Finalmente tenho o grande prazer de anunciar que esta­mos negociando com a Metalu Brasil, através do Sr. Gilles Pellé, CEO desse grande grupo empresarial, um projeto para ser implementado em nosso clube (veja foto ilustrativa na capa desta edição), que poderá trazer para o Iate a marina mais moderna do país.

Esse projeto é uma parceria com a Metalu, empresa francesa que desenvolve seu trabalho no mundo todo e, por isso, tem a maior expertise em marinas, píeres, pas­sarelas, fingers e pontes. Desde 1974 a Metalu tem se especializado no desenvolvimento, fabricação e instalação de estruturas de alumínio para marinas ao redor do mundo. Apenas no Brasil, a Metalu está presente com mais de dois quilômetros lineares de píeres, em diversas marinas, iates clubes e condomínios.

Espero que, em breve, possamos trazer a vocês o resultado concreto dessa parceria, com um contrato assinado, e, assim com certeza, transformaremos o Iate, muito em breve, no melhor e mais seguro clube de nossa cidade.

Vamos trabalhar e torcer. Um forte abraço e um feliz 2018, com muita saúde e conquistas.

JOSÉ MORAES

Comodoro

Os comentários estão encerrados.